quinta-feira, Março 24, 2005

Entrevista de rua

Este canal foi para a rua, em mais uma missão de serviço público, saber o que pensa a generalidade dos consumidores, relativamente à prestação de um serviço, que já se tornou de consumo quase imprescindível, a Internet.

Pivot Jerónimo - Muito boa tarde, o senhor possui internet em casa?

Transeunte - Possuo sim.

P.J. - Podia, então, dar a sua opinião acerca da entidade que lhe fornece o serviço de internet?

T. - Quem? Os marmanjos da Netcabo?

P.J. - Se tem contrato com essa empresa, pode dizer-nos o que acha da qualidade de serviço prestado por ela?

T. - O "shôre" nem me diga nada. Atão não é que tive uma avaria no "mordem", ou lá o que é aquele aparelho, e eles fizeram-me acordar às 9 horas da manhã para atender o técnico que chegou a minha casa às 4 horas da tarde?! Acha isto de bem? É que eu trabalho pá, e aqueles ladrões deviam, para além de me fazer um desconto pelo incómodo causado, pagarem-me o dia de trabalho que perdi!

P.J. - De facto não é uma situação nada agradável.

T. - Nada agradável? O que esses energúmenos mereciam era que lhes queimassem os pêlos do cu com um ramo de giestas a arder. Isso é que era d'homem.

P.J. - Muito obrigado pela sua opinião, e continuação de um bom dia.

terça-feira, Março 22, 2005

Publicidade



Móveis Carlos Cruz ...

A arte de bem trabalhar o pau!

sexta-feira, Fevereiro 25, 2005

Correcção pertinente

Afinal, e ao contrário do que este prestigiado serviço de (des)informação adiantou anteriormente, existirá uma situação mais ridícula do que a retractada momentos atrás.

Será um cenário em que o líder de um partido político é nomeado Primeiro-Ministro, e consegue ser "dissolvido" em menos de 6 meses, sem que, para isso, a oposição tenha grande influência.

Mas como o bom-senso nos diz, uma situação dessas é completamente impraticável, e nunca ocorrerá no nosso país. Guarda então este canal o direito de dar mais relevância à situação do dentista descrita no artigo anterior.

Sem mais a acrescentar desejo a todos os "jeireiros" uma muito boa tarde.

Sem palavras (perceptíveis)!

Haverá situação mais ridícula do que um profissional de medicina dentária a "interrogar" o seu paciente sobre variados assuntos, enquanto se ocupa do tratamento da dentição do dito paciente?

Este canal de tão bom-nome tem a convicta opinião de que não há, de facto, situação mais ridícula.
No entanto, lá estava eu ontem, de boca aberta, com todos aqueles apetrechos necessários ao tratamento da saúde oral dentro da minha boca, a tentar opinar sobre o desempenho das equipas portuguesas nas competições europeias, ou ainda sobre o futuro do país com este novo governo.

Não é difícil de concluir, portanto, o teor dos meus argumentos. Resumiam-se mais ou menos isto : "Mmmm Arrghaasas Nmagerrr".

Confusos? Também o dentista!

sexta-feira, Fevereiro 18, 2005

Comentário iluminado

Imaginem os nossos prezados "jeireiros", a seguinte situação:

Um incêndio em casa (na cozinha para ser mais exacto), uma cozinha completamente negra, um fogão totalmente derretido, os azulejos danificados, a instalação eléctrica em curto-circuito, um cheiro a fumo insuportável, pó de extintor por tudo o que é lado.

Em suma, a casa literalmente inabitável, e o comentário proferido por um dos trolhas que se deslocou ao local para começar a solucionar esta grave conjuntura foi, e passo a citar: "Fxxx-se! Ficaste com o fim de semána estragáádu."

Simplesmente incrível, e eu a pensar que tinha sido bem pior, afinal foi só o fim de semana.

Carnaval

Depois de apurar, que no Brasil, o Carnaval acontece por altura do Verão, e que o Samba é uma musica tradicional desse mesmo país, este prestigiado canal chegou à conclusão de que faz todo o sentido os brasileiros festejarem o Carnaval na rua, com muito pouca roupa e dançando ao ritmo do Samba.

Seguindo esta linha de raciocínio o Carnaval, em Portugal, deveria ser festejado com 3 camisolas de lã vestidas, umas ceroulas por baixo das calças e um casaco forrado a pelo de ovelha. E se se quisesse dançar, no máximo seria um Vira do Minho, ou então ao som de Tony Carreira.

Deixamos também esta questão aos nossos estimados leitores: será que apreciar umas raparigas "brancas como a cal", que não sabem "sambar", abanando umas nádegas maiores que um pneu de um camião e com a barriga a sair do "top" é sinónimo de diversão?

Para onde é que foram os bons e velhos balões de agua? Já ninguém se diverte a atirar ovos às pessoas que passam?

Por agora despeço-me.

segunda-feira, Fevereiro 14, 2005

Conversa de Café

Como sempre, a nossa equipa de reportagem estava no local certo, à hora certa, presenciando e registando a seguinte conversa de café:

Cliente: Então, viu o Benfica no sábado? Aquilo é que foi jogar. E com um bocadinho de sorte aquele livre do Simão estava lá dentro! Foi por um bocadinho assim.

Empregado: Olha-me este, é a sorte agora. Com um bocadinho de sorte eu, ontem à noite, tinha feito sexo anal com minha mulher, também foi por um bocadinho assim!


Sem mais a reportar despeço-me.

sábado, Fevereiro 12, 2005

Ai a nossa polícia!

Outra notícia completamente caricata dá conta de uma operação policial para... apreender os baralhos de cartas a uns velhotes que jogavam num jardim de Lisboa.

Eu vejo a gravidade deste acto praticado pelos idosos, quer dizer, na verdade não vejo! Há por aí assaltos todos os dias, agressões, homicídios, há até infindáveis processos sumaríssimos ao F.C. Porto e a polícia nada faz, porquê? Porque está ocupada a confiscar baralhos de cartas de uns "terríveis" senhores de terceira idade que cometem o grave acto de ocupar o tempo a jogar num parque de Lisboa.

Outro aspecto hilariante desta reportagem é a explicação do sucedido por parte de um dos "transgressores", quando justifica a sua usual prática inofensiva: "Eu tenho 62 anos, aquele senhor tem 80, o outro tem 90 anos, este aqui é que é mais novo, mas é de cor".
Mas é de cor? Isto quer dizer que, por ser um senhor de cor, não tem mais nenhum sítio para onde ir? Que não sabe fazer mais nada a não ser jogar às cartas? Deixo isso à consideração dos "jeireiros" e demais leitores, uma vez que o nosso prestigiado canal não conseguiu apurar a essência deste comentário.

Cannabis Legalizada

A cannabis será utilizada para fins terapêuticos na nossa vizinha Espanha, em alguns casos.

Por exemplo, será receitada a doentes que sofram de esclerose múltipla. Agora eu pergunto: como vão esses doentes "enrolar a cena" visto que não têm força nos dedinhos?

Outro dos casos em que será receitada a cannabis é a dor crónica. Quanto a isto eu só tenho um comentário a fazer: épa, ultimamente têm-me dado umas pontadas nas costas mesmo insuportáveis!

Ai se eu estivesse em Espanha!

sexta-feira, Fevereiro 11, 2005

Vou já querido... Espera no carro.

Uma coisa que causa "espécie" a qualquer indivíduo do sexo masculino é o tempo que uma fêmea leva a arranjar-se para sair de casa.

Para avaliar esta problemática, em toda a sua plenitude, recorreu, este canal, a uma analogia interessante.
Vejamos uma prática já bastante comum na nossa sociedade:o tunning. Perguntam os nossos estimados leitores: Mas "o que é que o cú tem a ver com as calças"? Tem tudo a ver! Assim como um carro demora o seu tempo até ficar todo "artilhado", também uma mulher demora a ficar convenientemente aprontada.
Ora, a primeira coisa a fazer a um carro é dar-lhe uma pintura "como deve de ser". Isto é análogo a todo o tipo de pintura que uma mulher usa, antes de sair de casa. Ele é bases, lápis, sombras, rímeis, batons, glosses e mais sei lá o quê!
Depois, num carrito, umas jantes "à maneira" não deixam de ser importantes, tal como nas mulheres, o par de sapatos a usar, passa previamente por um processo de selecção bastante rigoroso.
O vidro fumado encontra, igualmente, comparação no uso dos óculos de sol da moda. E para dar aquele "look todo quitado" ao carro, umas saias, que , no caso da mulher, causam também um efeito visual bastante agradável.
Nunca esquecendo todos aqueles extras, tais como os "ailerons" e afins, a que corresponderá toda a extensa bijuteria usada pela mulher.
Por fim, poder-se-á recorrer a algumas instalações especiais de melhoramento, das quais destaco, em ambos os casos, uns "faróis de halogénio".

Depois de toda esta espera não nos podemos queixar! Afinal ficamos completamente "prontos para as curvas"!